O QUE É A “IGREJA” de Cristo?

Image

 


Ao observar o contexto do trocadilho tão controverso ao longo da história do cristianismo, verifica-se que Jesus havia interrogado os seus discípulos acerca de quem ele era ( Mt 16:15 ), momento em que o discípulo Pedro fez uma confissão “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” ( Mt 16:16 ). O que é confissão? A palavra grega ‘homologeo’ traduzida por confessar significa literalmente falar a mesma coisa, consentir, concordar, admitir, declarar o que realmente é acerca de algo em decorrência de profunda convicção dos fatos.

"Dicionário e Comentários nos comprovam que Pedro, em grego significa ‘Pétros’ um fragmento de pedra, pedra movediça, lasca da rocha; enquanto pedra, no grego ‘Pétra’ significa rocha, massa sólida de pedra.
"Alguns comentaristas asseveram que o Espírito Santo orientou o apóstolo, ao redigir esta passagem para empregar duas palavras, em grego, para evitar a idéia de que Pedro fosse a pedra.
"Desta sucinta explicação se conclui que Pétros não é um símbolo apropriado para um fundamento, um edifício, mas que Pétra – rocha é um símbolo muito próprio para o fundamento estável e permanente da Igreja.
Isso porque, no sentido legal, a única “pedra” é Cristo, e não Pedro:
Pedro, assim como os demais, estavam debaixo da rocha, e não a rocha sobre Pedro. Quando Jesus disse: “Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja”, ele usou duas palavras diferentes que nos ajuda muito a identificar a Pedra como a sua confissão, e não sobre o próprio Pedro. Ele usou, primeiro, um pronome MASCULINO (Petros) e, depois, um pronome FEMININO (Petra). Fica mais do que claro que Cristo se referia A confissão de Pedro, e não O Pedro. Isso por si só já é mais do que suficiente para concluirmos que a pedra em questão não é o próprio Pedro, como pessoa, mas a sua confissão em Cristo Jesus ser o filho do Deus vivo.
"Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" 
( Mt 16:18 )
A Igreja estaria edificada sobre aquele que Pedro confessou, e não no próprio Pedro. Quem Pedro confessou? A resposta é clara no próprio contexto de Mateus 16:18 e “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”! E, para fundamentar esta posição, a Palavra alega que Pedro é Petrus, que teria tomado o seu nome de uma rocha maior, que é Petra.

Isso seria inadmissível, tendo em vista que a Igreja não pode estar edificada sobre um simples homem sujeito a falhas, erros e desvios, mas sim sobre alguém que não tem pecado e é o Filho de Deus (Cristo Jesus). Além disso, se fosse Pedro a pedra, então Cristo estaria edificado sobre Pedro, e não Pedro sobre Cristo! Como é que pode o Filho do Deus vivo, sem pecado, imaculado, nosso Senhor e Salvador, estar edificado sobre um homem mortal, falível e pecador?

Isso seria completamente antilógico e de todo incoerente. A Igreja só pode estar edificada sobre uma Rocha inabalável, e essa Rocha chama-se Jesus Cristo. Pedro tinha falhas, Jesus não. Pedro era pecador, Jesus não. Pedro seguia Jesus, e não Jesus a Pedro. Da mesma forma que os cristãos estão edificados sobre Cristo e não Cristo sobre os cristãos, Pedro (Petrus) estava edificado sobre a Petra(Cristo), e não Cristo sobre Pedro. “Eu a edificarei sobre Mim mesmo, não Eu sobre ela.

“Porque a Pedra (Petra) era Cristo; e sobre este fundamento foi o próprio Pedro edificado. Porque outro fundamento não pode ser lançado além do qual já está posto, que é Cristo Jesus (1Co.3:11)”

O texto bíblico utilizado por 1ª Coríntios 3:11 – para sustentar a tese de que Cristo é o único fundamento, e não Pedro. Pedro, portanto, estava edificado sobre Cristo, e não Cristo sobre Pedro. Sobre o fundamento de Cristo, o próprio Pedro foi edificado!

“Porque, ‘Tu és Pedro (Petrus)' e não ‘Tu és a pedra (Petra)' foi dito a ele. Mas ‘a pedra (Petra) era Cristo', em quem confessando, como também toda a Igreja confessa, Simão foi chamado Pedro” 

Segunda INTERPRETAÇÃO: A PEDRA SERIA A CONFISSÃO DE PEDRO

"Crisóstomo (350-407 AD) afirmou que a igreja foi construída sobre a confissão de Pedro. Outros Pais da Igreja e reformadores como Lutero, Huss, Zwínglio e Melanchton defendem a mesma ideia.

"Os fatos parecem indicar que esta não é a melhor interpretação, desde que a Igreja não é construída sobre confissões, mas sobre os que fazem a confissão, isto é, sobre seres vivos: Cristo, os Apóstolos e os que aceitam a Cristo como Seu Salvador. As passagens de Efésios 2:20 e I Pedro 2:4-8 confirmam as declarações anteriores."

E vós, quem dizeis que eu sou?

Nós somos a Igreja porque o Espírito Santo habita em nós.
“Certamente vocês sabem que são o templo de Deus e que o Espírito Santo de Deus vive em vocês.” (1Co.3:16)
“Que relação pode haver entre o templo de Deus e os ídolos? POIS NÓS SOMOS O TEMPLO DO DEUS VIVO, como o próprio Deus já disse” (2Co.6:16)
Veja esta passagem de Efésios que deixa bem claro que a Igreja de Cristo é o Corpo de Cristo, que é formado por todos aqueles que crêem em Jesus Cristo e seguem os Seus mandamentos.
Do contexto parece claro que não se trata de fundamento político, poder e autoridade de senhorio e governo, de dignidade pessoal ou primado pontifício, mas de relacionalidade comungatória, discernimento espiritual, lucidez de crença e firmeza de convicção, polarizada na plena aceitação de Cristo como Senhor, Messias, Salvador. Em outros termos, a pétra é o reconhecimento da unicidade senhorial de Cristo, a igreja calcada nessa bendita convicção, na explícita e absoluta confissão de que Pedro foi o marco inicial. A exegese sadia, objetiva, imparcial deste texto, em seu contexto, autorizará estas precisas ilações quanto à igreja: 

Sua constituição estrutural: Compõem-na Pedros, isto é, individualidades pétreas, pessoas de fé inabalável e testemunho irredutível a confessar Jesus Cristo como Soberano e Senhor de sua consciência, vitalizada pela graça de Deus e iluminada pelo evangelho puro, e as portas do inferno não prevaleceram contra as essas pessoas, que são a Sua Igreja. 

Sua dinâmica operacional: nao estar embasada na força, nos poderes humanos, nos recursos materiais, na eficiência de máquina administrativa e organização modelar, mas na potência da fé em Cristo, no vigor do testemunho cristão, na fidelidade a Deus, na obediência integral ao preceitos do Senhor.

AS CHAVES DE PEDRO E O “LIGAR E DESLIGAR” NO REINO DOS CÉUS

Em Mateus 16:19, Jesus prometeu dar a Pedro as chaves do reino, sugerindo que o céu respeitaria qualquer coisa que o apóstolo ligasse ou desligasse, mas esta mesma promessa foi dada por Jesus a todos os apóstolos em Mateus 18:18 (o objeto em 16:19 é “te”, mas em 18:18 é “vos”).

QUE SIGNIFICAM AS CHAVES (Em Mateus 16:19)?
"As chaves, que abrem e fecham a Casa de Deus, ligam os homens à Igreja, ou dela os desligam, são os princípios dos Evangelhos, as condições da Salvação, aceitas ou rejeitadas pelos homens. Pedro abriu, com a chave da Palavra de Deus, as portas do Reino dos Céus a três mil pessoas que se converteram. Actos 2:14-41. Este privilégio não foi apenas concedido a Pedro, mas a todos os discípulos. São Mateus 18:18. ...
"Quando uma pessoa completava satisfatoriamente um curso de estudos com um rabi judeu, era costume receber uma chave, significando que se havia tornado bem versada na doutrina e que estava agora habilitada para abrir os segredos das coisas de Deus. As palavras de Cristo se referem a este costume.
"’As chaves simbolizam a autoridade que Jesus confiou a Sua igreja para agir em Seu nome. Especificamente indicam as Escrituras onde Deus expõe o plano da salvação. A autoridade não é baseada numa escritura de igreja como tal, mas nas Escrituras Sagradas.'

Não foi dada a Pedro nenhuma autoridade especial nesta passagem além daquela que todos os apóstolos exerceriam. Todos os apóstolos foram revestidos da "chave" para perdoar ou reter os pecados em João 22:23. Quando Cristo diz sobre o poder de "ligar e desligar" no Reino dos Céus, Cristo estava se referindo à oração. Quando oramos a Deus "ligamos" automaticamente algo no céu. Pois as coisas primeiro acontecem no reino espiritual para depois no material. É por isso que está escrito em Mateus 18:18:
.
“Eu afirmo a vocês que isto é verdade: o que vocês ligarem na terra será ligado nos céus, o que vocês proibirem na terra será proibido no céu.” (Mt.18:18)
.
E logo no VERSÍCULO SEGUINTE:
.
“Todas as vezes que dois de vocês que estão na terra pedirem a mesma coisa em oração, isso será feito pelo meu Pai, que está no céu. Porque, onde dois ou três estão reunidos em meu nome, lá eu estarei com eles.” (Mt.18:19,20)
.
E esse poder de ligar e desligar nas orações não foi dado só a Pedro, pois todos os apóstolos puderam ligar e desligar em Mt.18:18. Eles representavam todos nós, que assim como eles também temos esse direito. Assim como Pedro representou todos os discípulos na passagem da "chave". E assim como vimos, Pedro é uma figura da Igreja, que assim como ele também tem a chave e o poder de ligar e desligar nas nossas orações.

Cap 16:19 AS CHAVES DO REINO.

As “chaves” representam a autoridade que Deus delegou a Pedro e à igreja. Estas chaves são usadas para:

(1) repreender o pecado e levar a efeito a disciplina eclesiástica (18.15-18);

(2) orar de modo eficaz em prol da causa de Deus na terra (18.19,20);

(3) dominar as forças demoníacas e libertar os cativos 

(4) anunciar a culpa do pecado, o padrão divino da justica e o juízo vindouro (At 2.23; 5.3,9); e

(5) proclamar a salvação e o perdão dos pecados para todos quantos se arrependem e crêem em Cristo (Jo 20.23; At 2.37-40; 15.7-9).

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s